JAVAEE do Resumo

Para focar em outros projetos o projeto do JAVAEE foi repassado pela Oracle para a Eclipse Foundation, que não pode manter o nome por motivos de direitos autorais, já que o JAVAEE pertence à Oracle. Assim, ele passou a se chamar Jakarta EE.

1) Instalar a versão desejada do Java SE Development Kit.

2) Instalar a versão do servidor de aplicações (WildFly)

2.1 ) No eclipse ir na aba “Server”, ou caso ela não esteja aberta ir em Window > Show View > Other > Pesquisar por Server.

2.2) Agora clicar no link “No Servers are available. Click this link to create a new server”;
2.3) Selecione “JBoss Red Hat Middleware”> JBoss AS, Wildfly, & EAP Tools
2.4) Selecione o WildFly 21 (versão do seu servidor de aplicação);
2.5) e na página JBOss Runtime, em Home Directory, selecione o endereço da pasta do seu servidor. No campo Runtime JRE selecione selecione o Alternate JRE e a JRE instalada em seu computador clicando no botão “Installed JREs”

No WildFly, ele utiliza o arquivo Standalone para configurar o servidor, aponte o configuration file para o arquivo standalone-full.xml Clique em next e selecione o projeto e mova-o para a lista de configurados. Clica em Finish para terminar a configuração do servidor.

Agora, é necessário adicionar a API do Jakarta EE como requisito do Maven. Abra o Repositório do Maven e pesquise por Jakarta EE, selecione o item, e pegue o código da aba Maven:



jakarta.platform
jakarta.jakartaee-api
8.0.0
provided

Adicione no pom.xml, abaixo de properties, dentro de uma tag “dependecies”;




jakarta.platform
jakarta.jakartaee-api
8.0.0
provided

Depois de Salvar, clique com o botão direito em sua aplicação, selecione a opção Maven > Update Project, selecione o combo “Force Update of Snapshots/Releases”. Depois de realizar o update deve aparecer o jakarta dentro da pasta Java Resources > Libraries > Maven Dependencies.

Clique agora em Project > Clean

Uma vez que não tenha dado nenhum erro, podemos clicar em servidor e starta-lo, aparecera as mensagem “WFLYSRV0010: Deployed “nomedoseuprojet-0.0.1-SNAPSHOT.war”” e “WildFly Full 21.0.2.Final (WildFly Core 13.0.3.Final) started in 23767ms” como mensagem de sucesso.

Se abrir: http://127.0.0.1:8080/ você verá a pagina do Wildfly

O Wildfly irá fornecer algumas funcionalidades através de Inversão de Controle e Injeção de Dependência.
Ao invés do objeto ser instanciado no código através de um comando New, quem fará essa instância é o servidor de aplicação.

Ou seja, O EJB inverte o controle e passa a responsabilidade, de instanciar objetos e fornecer serviços, para o servidor de aplicação. Com EJB o programador passa a focar nas regras negociais e apenas se preocupa em usar os serviços fornecidos pelo servidor de aplicação.

Ou seja, ao invés de iniciar o objeto através de um comando New criando um acoplamento com 1 classe, passa a usar o @Inject acoplando seu sistema com uma API implementada por um framework ou um servidor. Não me parece muito lógico.

Configurando o banco de dados no WildFly

Para utilizar o banco de dados com injeção de dependência no WildFly, o procedimento será diferente. Não será adicionada uma dependência no Maven, mas instalaremos o pacote do MySQL conector como um dos módulos do servidor.

O primeiro passo é iniciar o servidor Wildfly na aba Server do Eclipse. Isso será necessário para o próximo passo.

Faça o donwload do MySQL Connector.

Esse módulo será copiado por nosso comando abaixo da pasta em que ele foi descompactado, para subpasta modules do servidor Wildfly. Temos que executar os comandos abaixo dentro da pasta bin do servidor:

CMD

jboss-cli.bat

connect

Como eu fiz o download do *.jar do conector para C:\mysql-connector-java-8.0.20.jar, minha linha de comando será:

module add –name=com.mysql –resources=”C:\mysql-connector-java-8.0.20.jar” –dependencies=javax.api,javax.transaction.api

Se nenhuma mensagem apareceu, o conector já foi copiado para a pasta modules. Agora, faremos a instalação deste módulo no servidor:

/subsystem=datasources/jdbc-driver=mysql:add(driver-name=mysql,driver-module-name=com.mysql,driver-xa-datasource-class-name=com.mysql.cj.jdbc.MysqlXADataSource)

Se a operação foi sucesso, será enviada a mensagem: {“outcome” => “success”}

Agora podemos criar o datasource no painel de administração do Wildfly.

Agora precisamos informar para aplicação qual o nosso datasource:

criar o arquivo na pasta src/main/webapp/WEB-INF/classes/META-INF/persistence.xml

conteúdo informando a datasource:


java:/AgendamentoEmailDS

reinicie o servidor

Como saber a versão do Java: Windows > Preferences > Java > Installed JREs

Windows 7 – Clique com o botão direito em Meu computador e selecione Propriedades > Avançado
Windows 8 – Vá para Painel de controle > Sistema > Configurações avançadas do sistema
Não esqueça de configurar as variáveis de ambiente JAVA_HOME e JRE_HOME, elas serão uteis na hora de configurar o WildFly.

Execute o jboss-cli.bat
digite: connect

The controller is not available at localhost:9990: java.net.ConnectException: WFLYPRT0053: Could not connect
to remote+http://localhost:9990. The connection failed: WFLYPRT0053: Could not connect to remote+http://localhost:9990
. The connection failed: Connection refused: no further information

Se você recebeu a mensagem, verifique se o seu servidor WildFly foi inicializado na aba Servers do Eclipse.

Para não ter que acessar a aplicação, utilizando o pacote war na url, você pode mudar o nome do contexto através do arquivo XML, que deve estar na pasta src/main/webapp/WEB-INF/jboss-web.xml




agendamento

Caso não queira usar nome, ou seja usar a raiz do servidor, utilize:




/

Como criar uma fila JMS:

nas pasta bin do Wildfly:
jboss-cli.bat
connect
jms-queue add –queue-address=EmailQueue –entries=java:/jms/queue/EmailQueue

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *