Vendo o elefante crescer: grandes elefantes do espaço através do “tempo” – Luciane Pinheiro

Vendo o elefante crescer: grandes elefantes do espaço através do "tempo" - Luciane Pinheiro

Um pouco sobre os desafios de implantar um SGBD não proprietário, pouco conhecido, em ambiente 24 x 7, com grande volume de dados e com características espaciais. Um pouco da experiência com o Postgresql e o Postgis desde 2005.

Experiências vividas pela “menina” do banco de dados e seus pequenos grandes elefantes do espaço. Como foi a aposta de migrar dados ambientais críticos (natureza meteorológica / hidrológica tal como dados de reservatórios e descargas elétricas) do SGBD Oracle para o Postgresql. As possibilidades e melhorias criadas pelo Postgis desde os tempos em que o Google Maps, Uber e outros não existiam. Com enfoque na meteorologia e seus dados espaciais, o que mudou da versão 8.1 (e uma base de menos 1GB) até os 2019 e bases que crescem cerca de 12 milhões de registros por hora.

Luciane Pinheiro – Formação: em Ciência da Computação (UEPG) e mestrado aplicado a Banco de Dados Geoespaciais (clusterização de descargas elétricas) Experiência com Banco de Dados desde 2003 e com o Postgresql com ênfase em Banco de Dados Geoespaciais bem como a extensão espacial Postgis desde 2005 . Desde 2005 é Analista de Sistemas/ Arquiteta de Dados/ Database Administrator (Postgresql – Postgis/Oracle/ SqlServer) / DevOps no Instituto Tecnológico Simepar em Curitiba-PR com participação em projetos com dados ambientais: rede telemétrica de estações meteorológicas e hidrológicas, descargas elétricas, radar meteorológico, hidrologia, agrícola, monitoramento hidrológico, mapas diversos, controle de qualidade de dados. Gestão de pelo menos 11 servidores dedicados e cerca de 12 milhões de registros por hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *