Escrita em Braile

Tentando desenvolver um aplicativo que conseguisse transformar uma página de texto normal em um texto legível para cegos, pesquisadores da Universidade de Stanford criaram um aplicativo que poderá revolucionar a escrita em Braile. Eles tornaram possível que cegos pudessem utilizar dispositivos como tablets para escrever, barateando em até 10 vezes o processo de escrita antes realizado por uma máquina especial.

Segundo a Wikipédia: Braille ou braile é um sistema de leitura com o tato para cegos inventado pelo francês Louis Braille no ano de 1827 em Paris. O sistema de Braille aproveita-se da sensibilidade epicrítica (sensibilidade fina de toque e vibração. É uma sensibilidade importante para a distinção da localização de dois pontos distantes a uma pequena distância) do ser humano, a capacidade de distinguir na polpa digital pequenas diferenças de posicionamento entre dois pontos diferentes. Um cego experiente pode ler duzentas palavras por minuto.

Inicialmente, eles procuravam uma técnica que permitisse fotografar páginas de texto e converter esta em braile, porém algumas dúvidas surgiram: como conseguir que um cego detectasse que a iluminação era insuficiente, como um cego saberá qual a parte de cima da folha para que esta possa ser fotografada na orientação correta. foi então que eles perceberam que a melhor saida não era um conversor, mas um dispositivo que permitisse a escrita.

Uma máquina de escrever em braille, é um dispositivo sem tela, que é composto por somente 8 teclas: 6 de sinais, um enter, e um delete.

O problema maior era como fazer com que os dedos encontrassem as teclas em uma tela touchscreen sem relevo. a solução foi realizar o processo de forma inversa: ao invés dos dedos encontrarem as teclas, as teclas é que se posicionam em baixo dos dedos, permitindo que os cegos pudessem escrever sem ter que se preocupar com o posicionamento dos mesmos em telas sensíveis ao toque.

Segundo os cientistas, o dispositivo custará até 10 vezes mais baratos que uma máquina de escrever em braile tradicional.

Via: InovaçãoTecnológica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *